Entrevistas - 1 de junho de 2022

O Perito do Mês de Junho: Rémi Lantier!

Escrito por Sofia Iorio 3 min de leitura

Informação

Esta página, originalmente publicada em inglês, é oferecida em português com a ajuda de tradutores automáticos. Precisa de ajuda? Entre em contato conosco

Todos os meses, uma pessoa do nossoComunidade de peritosserá apresentado num artigo destacando os seus antecedentes e experiências durante o seu tempo com a Fundação Solar Impulse. O prémio de Perito do Mês dá destaque a um Perito que foi mais além no seu papel para ajudar a rotular Soluções sustentáveis e rentáveis.


O Especialista do Mês de Junho: Rémi Lantier!

O prémio Perito do Mês de Junho de 2022 vai para Rémi Lantier! Desde que aderiu à Fundação em Março de 2019, Rémi avaliou 46 soluções de relater para os sectores da água e da energia limpa. Após 20 anos de trabalho no sector da energia, passou 16 anos no campo da engenharia da água, sendo responsável por projectos internacionais. Depois disso, Rémi tornou-se director-geral de uma das empresas líderes mundiais no campo da produção e tratamento de água.


Fale-nos um pouco de si e da sua área de especialização!

Eu nasci e fui criado em Paris. Após um diploma de engenharia da École Centrale de Paris e um Mestrado em Física da Universidade da Califórnia, Los Angeles e da Universidade da Sorbonne, comecei a trabalhar para o ramo do poder da Alstom e depois mudei-me para Suez, onde fui Director Executivo da Degrémont, nomeadamente da divisão de Infra-estruturas de Água. Vivi em França, Brasil e EUA e viajei extensivamente pelo mundo durante a minha carreira. Agora estou reformado mas ainda gosto de viajar um pouco, especialmente para visitar as minhas filhas e netos que estão estabelecidos nos EUA.

Para além da minha contribuição para a missão da Solar Impulse Foundation, sou consultor de uma grande start-up especializada em formação digital e educação em tecnologias da água. Estou também a ajudar a Fundação Universitária Sorbonne no seu compromisso de angariar fundos para a investigação nos campos da saúde, protecção ambiental, cidades inteligentes e IA, mas também para vários programas de bolsas de estudo como o de
promoção da educação superior das mulheres em ciências.

Trabalha como Director na Suez há 16 anos. A sustentabilidade estava totalmente integrada no seu trabalho? E como é que a abordagem à sustentabilidade mudou ao longo do tempo?

As actividades e objectivos da Suez são totalmente dedicados aos serviços ambientais. Há 16 anos que trabalho na Suez. O trabalho de construção e operação de infra-estruturas que trazem água saudável à população em todo o mundo, bem como a limpeza de águas residuais para proteger o ambiente e reciclar eficazmente os nossos preciosos recursos hídricos tem sido um desafio muito excitante, marcado com muitas histórias de sucesso. Este campo é um exemplo perfeito de como a protecção ambiental e os bons negócios não são contraditórios.

Contudo, as questões ligadas ao desenvolvimento sustentável ganharam dramaticamente mais importância ao longo dos últimos dez anos. Para além do aspecto social, político e governamental, o nosso empenho resultou num duplo impacto. Em primeiro lugar, a nível da empresa, com a necessidade de provar e ser responsável pelos seus esforços ambientais positivos, com base em critérios claros e transparentes, para além de qualquer lavagem verde. Em segundo lugar, a nível das equipas de trabalho, onde o comportamento e os compromissos pessoais têm sido rotineiramente desafiados.


Juntou-se à Comunidade de Peritos em Março de 2019 e completou 46 Avaliações! Que tipos de Soluções avaliou, e quais se destacam como as mais impactantes?

Na minha jornada de Peritos com a Fundação Solar Impulse lidei com muitos projectos que promovem soluções sustentáveis e seguras para as comunidades rurais (quiosques de energia solar, fontes de água potável de aldeias, etc...) e instalações descentralizadas de tratamento de águas residuais.

Alguns outros grandes projectos que adorei foram: bóias de dessalinização de água por ondas, AI para gestão de águas pluviais ou para reduzir as perdas de água nas redes, barcos autónomos para combater a poluição por hidrocarbonetos e plásticos nos portos, ou uma solução paisagística modular para gestão de águas pluviais e biodiversidade numa cidade.

Tenho ficado impressionado com a energia e os sucessos de vários desses empresários, geralmente provenientes do sector científico ou de engenharia, melhorando concretamente a situação económica, social e ambiental das comunidades (muitas vezes pobres) enquanto desenvolvem as suas startups sem ajuda económica pública.

Qualquer outra coisa que gostaria de partilhar?

Acredito que cada indivíduo pode fazer a diferença ao seu próprio nível. Temos tendência a esperar demasiado deorganismos governamentais (não que devamos deixar de os pressionar na direcção certa para o nosso bem), mas no final, penso que muito será conseguido pelas indústrias, pelos empresários, pelos cientistas, pelas associações... bem, por cada um de nós.

Está interessado em juntar-se à Comunidade de Peritos? Saiba mais sobre como se tornar um Especialista aqui.



Você gosta deste artigo? Compartilhe-o com seus amigos!